Blog

Qual é a maior causa de infecções gastrointestinais?

Campylobacter é considerada a causa bacteriana mais comum de gastroenterite humana. É uma das quatro maiores causas de diarreia no mundo, tornando-a de grande importância socioeconômica.

 

O que é Campylobacter?

Campylobacter é um gênero composto por bactérias zoonóticas, com morfologia bacilar, que causa campilobacteriose, uma intoxicação alimentar. Ela é amplamente encontrada na natureza, sendo considerada flora normal em vários animais domésticos e selvagens. A grande maioria das espécies do gênero Campylobacter cresce em temperatura de 370C, exceto C. jejuni, C. coli e C. lari, que podem crescer em temperaturas de até 420C. Ela é formada por um ou mais flagelos espirais, o que contribui para um acréscimo na sua patogenicidade.

 

Mecanismo de virulência e infecção

O Campylobacteré um parasita intracelular de células eucariotas. A colonização começa nas células do intestino delgado, causando uma diminuição na sua capacidade de absorção e subsequente mudança para o cólon. O flagelo possui uma participação complexa na patogenicidade que inclui, entre outros, secreção de proteínas.

Recentemente, vários fatores de virulência que podem estar envolvidos na patogenicidade do Campylobacter foram identificados. Entre os principais estão motilidade devido ao flagelo, capacidade de adesão e invasão de células eucarióticas, LPS lipopolissacarídeo com atividade endotóxica e produção de citotoxinas, como CDTs que levam à morte da célula infectada.

O que as autoridades estão fazendo a respeito?

Essa tendência crescente, que começou em 2005, afeta muitos países, independentemente do seu nível de desenvolvimento. A alta prevalência é encontrada até em países com alto índice de desenvolvimento, sendo as carcaças de frango a via de contaminação mais importante. Sendo assim, muitas organizações nacionais e internacionais, como OMS e FDA, identificaram a necessidade de modificação nas regulações, através de diversos estudos efetuados ao longo da última década.

Essa modificação está associada a critérios microbiológicos e resultou na ISO 10272:2017 Microbiologia da cadeia de alimentos. Metodologia horizontal para detecção e enumeração de Campylobacter spp., formada por duas parte: “Método de detecção” e “Método de contagem de colônias”. A última parte contém as técnicas de amostragem de carcaças e carne de frango frescas. O plano de amostragem tem a intenção de seguir a mesma abordagem de critérios de higiene estabelecidos para Salmonella.

Com as novas normativas, espera-se uma diminuição nos casos de campilobacteriose, colaborando para uma redução dos problemas de saúde pública.